Sobre

Version 3Sou jornalista, trabalhei em TV, revista, jornal e agora estou aqui, no on-line, e adorando! Mas o que me importa de verdade é menos o suporte e mais o pensamento que ele carrega, a capacidade de impactar, provocar o questionamento e fazer diferença na vida das pessoas.

As questões do cotidiano, das relações, as formas de viver no espaço da casa e da cidade são alguns dos temas que me encantam. Editei caderno para criança, para adolescente e criei um para adulto (respectivamente “Folhinha”, “Folhateen”, “Folha Equilíbrio”, todos na Folha de S. Paulo). No extinto Jornal da Tarde, editei um de consumo (Jornal de Compras), passei pelo intenso “Aqui Agora” (SBT), pelo infantil “X-Tudo” (TV Cultura), entre outros.

Por que o “Casar, descasar, recasar”? Já passei pelas três etapas e, lógico, fui acumulando experiência no assunto. Mas só fui mesmo entender do babado com o fim de um casamentão de 25 anos. Minha vida virou de ponta-cabeça. Descobri um universo inédito, em que as pessoas costumam despencar sem nenhum preparo. Homens e mulheres são mal-educados para casar; para a separação, então, somos, em geral, ignorantes.

No final, em vez de separada, eu saí inteira dessa história e com um desejo profundo, uma necessidade, mesmo, de passar para a frente o que eu aprendi. A ideia aqui é ajudar homens e mulheres a atravessarem essas diferentes fases da vida – o casar, descasar, recasar – tão próprias do nosso tempo da maneira mais consciente, saudável, ética e responsável possível.